MISSÕES MUNDIAIS
MINISTÉRIOS
VAMOS ORAR
 PAISES PERSEGUIDOS
PEDIDOS DE ORAÇÃO
GALERIA DE FOTOS
NOTÍCIAS
NOSSA VISÃO
FALE CONOSCO
PROJETOS MISSIONÁRIOS
NOSSOS CULTOS DE MISSÕES
VIDEOS
MURAL DE RECADOS
ONDE ESTAMOS


Igreja Luterana da Suécia aprova casamentos gays

A Igreja Luterana da Suécia – a maior do país – deve começar a realizar casamentos entre pessoas do mesmo sexo a partir do mês que vem.

Cerca de 70% dos 250 membros do sínodo da igreja votaram a favor da medida, tornando-a uma das primeiras grandes igrejas do mundo a permitir o casamento gay.

O governo da Suécia aprovou uma nova lei em maio garantindo a casais homossexuais os mesmos direitos concedidos a casais heterossexuais.

Cerca de três quartos dos suecos são membros da Igreja Luterana, apesar de o número de praticantes ser relativamente baixo.

A Igreja Luterana diz que a partir de novembro qualquer um de seus pastores poderá celebrar casamentos entre homossexuais.

Pastores individuais não serão “forçados” a celebrar os casamentos gays, mas poderão ser substituídos para as cerimônias caso se recusem.

fonte: BBC Brasil- Notícias

Peça com Jesus transexual provoca protestos na Escócia

Cerca de 300 manifestantes realizaram um protesto portanto velas do lado de fora de um teatro em Glasgow, na Escócia, no dia da estreia de uma peça que retrata Jesus como um transexual.

O protesto foi realizado na terça-feira à noite em frente ao Tron Theatre, onde a peça Jesus Queen of Heaven (Jesus, a Rainha do Paraíso, em tradução livre) está em cartaz, como parte do festival de artes Glasgay! Que celebra a cultura gay, bissexual e transexual da Escócia.

Os organizadores do festival afirmaram que não têm a intenção de incitar reações ou ofender ninguém.

A peça Jesus, Queen of Heaven, que fica em cartaz até sábado, foi escrita e é encenada pelo autor transexual Jo Clifford.

Os manifestantes cantaram hinos religiosos e levantaram cartazes. Um deles dizia: “Jesus, Rei dos Reis, Não Rainha do Paraíso”.

Outro dizia: “Deus: Meu Filho Não É Um Pervertido”.

Os organizadores do festival classificaram os cartazes de “provocativos” e disseram que eles podem ser vistos como incitação à homofobia.

O produtor do Glasgay! Steven Thomson disse que “Jesus, Queen of Heaven é um trabalho de ficção literária explorando a viagem pessoal de fé do artista como um transgênero”.

“O Glasgay! Apoia o direito de liberdade de expressão das artes e oferece ao público uma visão diversa da vida GLBT (gays, lésbicas, transexuais e bissexuais).”

“Este trabalho não tem a intenção de incitar ou ofender ninguém de nenhuma crença, mas respeitamos o direito dos outros de discordar desta opinião.”

“Nós vamos dar as boas vindas a membros do público genuinamente interessados que queiram entender a intenção artística por trás deste trabalho”, acrescentou.

O Glasgay! É descrito como “a comemoração anual da cultura gay da escócia” e é financiado pelo Conselho das Artes da Escócia, Event Scotland, pelo Bureau de Marketing da cidade de Glasgow e pelo Conselho da Cidade de Glasgow.

fonte: BBC Brasil - Notícias

Missionário australiano é preso em Andhra Pradesh, Índia (22º)


Um missionário australiano foi preso sob a falsa acusação de “conversão forçada” pela polícia do estado de Andhra Pradesh, no dia 24 de novembro.

De acordo com o Conselho Global de Cristãos Indianos (GCIC, sigla em inglês), Paul Jemison, 40, um missionário australiano acompanhado de Joy Carol, filha do pastor local, Premanandam, 50, foram ao campus do Instituto de Treinamento Industrial projetar um filme para cerca de 200 alunos por volta das 19h30.

O CGIC informou que quando o filme acabou por volta das 20h30, Jemison compartilhou sobre o amor de Cristo aos alunos presentes. Enquanto pregava a Palavra, 20 hindus radicais adentraram no evento e o acusaram de “forçar conversão”, além de insultá-lo por ser estrangeiro.

A fonte disse ainda, que o grupo o levou até a delegacia mais próxima e deu queixa contra ele por “conversões forçadas ao cristianismo”.

O missionário Paul Jemison ligou para a embaixada australiana para verificar a possibilidade de sua soltura.

A agência de notícias ANS soube que ele ficou detido na delegacia até tarde naquela noite, mas depois foi liberado.

A fonte relatou que os radicais hindus e alguns moradores locais alertaram o pastor Premanandam e sua filha Joy Carol a não convidar missionários estrangeiros para ir àquela cidade.
Tradução: Vanessa Portella

Fonte: ANS   

Projeto anti-homofobia pode ser derrubado no Senado Federal

Se não for modificado, o projeto de lei que torna crime a homofobia no País, aprovado na Câmara após 5 anos de tramitação, deve ser derrubado no Senado. "O projeto pune manifestações de pastores e padres que causem constrangimento e humilhação", afirmou a relatora do proejto, senadora Fátima Cleide (PT-RO).

Para evitar o arquivamento, a relatora do PLC 122/2006, senadora Fátima Cleide (PT-RO), vai apresentar substitutivo até o fim de junho. Após oito anos de debate, o projeto amargará derrota caso seja levado à votação no Senado, admite a parlamentar.

A proposta volta ao estágio da negociação de emendas no mês da maior parada gay do mundo, marcada para o dia 14, em São Paulo. "Estou disposta a apresentar substitutivo. É o único caminho para incriminar a homofobia", diz Fátima.

Para alguns parlamentares, o texto atual instituiria uma "ditadura gay" no País. Em sua avaliação, a visão de religiosos que qualificam a homossexualidade como pecado poderia se tornar crime caso o PLC seja aprovado. "O projeto pune manifestações de pastores e padres que causem constrangimento e humilhação. Mas pensamos em excluir esse tema. Já há um certo acordo", afirmou a relatora.

A senadora, porém, recusa-se a detalhar quais serão as concessões. "Se disser que vou retirar o padre e o bispo, vão querer retirar também os pontos que tratam da CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas) e outras penalidades. Aí, acabou o projeto de novo."

Fátima pretende consultar especialistas para redigir o novo projeto. A proposta inicial foi apresentada pela deputada Iara Bernardi (PT-SP) em 2001 e aprovada em 2006. O PLC estacionou em comissões do Senado. Agora, o substitutivo terá de voltar à Câmara.

O presidente da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Transgêneros (ABGLT), Toni Reis, não considera o novo texto um retrocesso. "Pelo contrário, é um amadurecimento do movimento. (Mas) pode demorar. Vamos negociar com a Frente Parlamentar (pela Cidadania LGBT) para acelerar", afirma Reis.

Mudanças

O PLC altera a Lei de Combate ao Racismo, a CLT e o Código Penal e inclui "gênero, sexo, orientação sexual e identidade de gênero" nos crimes de "discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião, origem ou condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência". É o inciso contra "ação violenta, constrangedora, intimidatória ou vexatória, de ordem moral, ética, filosófica ou psicológica" enfrenta resistência religiosa.

O senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), bispo da Igreja Universal do Reino de Deus, propôs a supressão do inciso. "Precisamos preservar o livre exercício do culto religioso e garantir o direito dos homossexuais", afirma. "Não podemos tornar crime as opiniões."

Se acatadas as suas sugestões, o senador afirma que vota pela aprovação do texto. Segundo Crivella, sua proposta iguala homofobia ao racismo. "Concordo com as penas. Qualquer extrapolação que possa incitar o ódio estará na lei como crime."

O senador Magno Malta (PR-ES) apresenta voto pela rejeição ao projeto. Procurado pela reportagem durante duas semanas, não respondeu.

Questionada, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que não tem posicionamento oficial, mas repudia a discriminação.

Conhecida por decisões favoráveis a lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais, Maria Berenice Dias, ex-desembargadora do Tribunal de Justiça do RS, afirma que não há justificativa para posicionamento contrário ao projeto. "Querem manter a prerrogativa de falar contra homossexuais", diz. "Há manipulações para retardar a lei. Infelizmente, prefiro que o projeto seja rejeitado. Os parlamentares, assim, assumem posição contra essa população."

Fonte: Bem Paraná

Projeto de vereador quer liberar placa de templos


Diferentes credos são "vizinhos" na Rua Machado de Assis, próxima do Largo Ana Rosa, na zona sul. As casas de números 719, 57 e 39 são respectivamente um centro espírita, uma igreja evangélica e outra Batista, que ficam camufladas na via, toda residencial. Com a justificativa de que é preciso "dar cara" aos templos religiosos, um projeto na Câmara Municipal quer que locais desse tipo entrem nas "exceções" da Lei Cidade Limpa.


Proposto no fim de 2008 por Antônio Carlos Rodrigues (PR), presidente da Casa, o projeto passou no mês passado pela Comissão de Justiça e agora tramita na de Urbanismo, etapas necessárias para que o plano seja votado. "Não queremos burlar a legislação", diz Rodrigues. "Mas queremos liberar as igrejas, que não são espaços comerciais, e ficaram prejudicadas sem identificação", fala, embora garanta que, caso os colegas entendam que o projeto "descaracteriza a Cidade Limpa", abandona a proposta.

O projeto foi também enviado para a "juíza" do Cidade Limpa, a diretora de Meio Ambiente e Paisagem Urbana da Empresa Municipal de Urbanização (Emurb), Regina Monteiro. Um ofício chegou para sua análise e a resposta imediata foi uma "torcida de nariz". "Tudo que altera a lei abre precedentes. É possível comunicar com arquitetura e sem letreiros. Quem tiver dificuldades que nos peça ajuda", diz Regina, que enviou o projeto à Comissão de Proteção da Paisagem Urbana (CPPU) da própria Emurb.

O projeto também pede anistia para unidades de saúde. Nesse ponto, a diretora diz que o "assunto já é vencido". Segundo ela, foram feitas reuniões com mais de 30 redes de medicina para adequar as fachadas das unidades. "Colocamos até informações em placas de trânsito para evitar que casos de urgência fossem prejudicados."

A "consultoria" também foi dada a congregações religiosas, em especial a pastores evangélicos da periferia. Nos extremos da cidade, afirma Regina Monteiro, as soluções foram criativas, como uso do grafite.

O projeto de lei tem de receber o aval dos sete vereadores da Comissão de Urbanismo para continuar a ser discutido. José Police Neto (PSDB) já tem opinião formada. "Imagem não é publicidade. Os símbolos que fazem parte do templo, como a cruz, podem ser liberado na arquitetura, mas placa e letreiro devem ficar vetados."

Fonte: Estadão

Cristãos foram soltos como resposta de oração na China


Os últimos 16 cristãos do grupo de igrejas não-registradas China Gospel Fellowship, presos no Escritório de Segurança Pública (PSB em inglês), foram soltos da detenção administrativa na tarde de 9 de maio de 2009.

A agência de notícias ChinaAid afirma que apesar de os prisioneiros não terem cumprido sua pena de 10 a 14 dias na detenção ou pagado fiança no valor de U$ 150, os oficiais não pediram nada para executarem a libertação.

Fontes da ChinaAid dizem que a libertação prematura dos prisioneiros aconteceu devido à pressão da comunidade internacional, e significa que “o governo admitiu que o que fizeram foi errado.”

De acordo com a notícia, um total de 18 cristãos foram presos no dia 30 de abril, quando reunidos para a Santa Ceia no vilarejo de Shuitaizi, na província de Henan.

“Uma dúzia de oficiais do PSB invadiu a reunião, e todos os cristãos foram presos. Os policiais os ameaçaram com multas e trabalhos forçados. Eles foram acusados de ‘prejudicar a sociedade por falso uso da religião’.”

Quando a ChinaAid publicou a notícia do incidente, dois dos cristãos foram soltos no mesmo dia, mas 16 continuaram presos.

“Muitos irmãos ao redor do mundo oraram e ligaram para o Escritório de Segurança Pública em Xinye para demonstrar preocupação com os que estavam presos e pedir a liberação imediata dos prisioneiros. Na tarde de 8 de maio, 11 cristãos foram libertados e, algumas horas depois, os últimos cinco também foram soltos”, relata a ChinaAid.

Fonte: Portas Abertas


Declaração do direito à liberdade religiosa da ONU

A Organização das Nações Unidas (ONU) proclamou, em 1981, a Declaração sobre a eliminação de todas as formas de intolerância e discriminação fundadas em religião ou crença desta forma: "Toda pessoa tem direito à liberdade de pensamento, de consciência e de religião. Este direito inclui a liberdade de ter uma religião ou qualquer crença de sua escolha, assim como a liberdade de manifestar sua religião ou crença, individual ou coletivamente, tanto em público quanto em particular", diz o primeiro artigo da Declaração da ONU, para, mais adiante, advertir: "A discriminação entre seres humanos por motivos de religião ou crença constitui uma ofensa à dignidade humana (...) e deve ser condenada como uma violação dos Direitos Humanos e das liberdades fundamentais, proclamados na Declaração Universal dos Direitos Humanos."

Constituição brasileira de 1988, artigo 33
O respeito à diversidade cultural religiosa do Brasil torna vedada quaisquer formas de proselitismo.

No Brasil, o artigo 33 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, prevista no texto da Constituição de 1988, determina que a educação religiosa nas escolas públicas assegure "o respeito à diversidade cultural religiosa do Brasil, vedada quaisquer forma de proselitismo". Ou seja: é obrigatório respeitar a liberdade religiosa do aluno; é proibido tentar convertê-lo para esta ou aquela religião.




NOTÍCIAS  DAS MISSÕES NO MUNDO

Membros de igreja são interrogados e pressionados na china

fonte: china Aid Association

Internacional - Ontem 17/11/09 . Declaração sobre "difamação das religiões  é liberadas"

Portas abertas

Internacional - Ontem 17/11/09. Responsável por ataques anticristãos é acusado na justiça fonte: Compass. Direct

Sudeste Asiático - 16-11-2009 - Missionário é agredido e pede oração.

fonte: ANS

Iraque 16-11-2009 - Adolecente Cristão é baleado por grupo aramado em mosul

fonte:  Asia News

Irã: 18-11-09 A maior igreja no Irã, que realiza cultos abertos e publícos no país não poderá abrir a igreja ás sextas- feiras, por causa da pressão do governo.

fonte: Christian Post

Egito- 17-11-09 Um novo relatório sobre liberdade religiosa no Egito revelou que os cristãos coptas, que representam 10% de uma população de 80 milhões de pessoas (de acordo com o CIA factbook) enfrentam graves violações de direitos humanos e têm sido muito perseguidos.

Cristãos egipcios são severamente perseguidos
fonte: Frre Copts

Uganda - 18/11/09  UGANDA (*) - No dia 1 de novembro, cerca de 40 extremistas muçulmanos armados com facões e porretes tentaram invadir o culto de domingo na capital de Uganda, Kampala, deixando um membro da congregação com diversos ferimentos e danificando o templo. 

Fonte: Compass Direct

Sexo precoce aumenta risco de câncer do colo do útero, diz estudo

Um estudo com 20 mil mulheres revelou uma associação entre a iniciação sexual precoce e índices mais elevados de câncer do colo do útero.

O objetivo da pesquisa era entender por que mulheres mais pobres correm maior risco de desenvolver esse tipo de câncer.

Os especialistas constataram que essas mulheres tendem a iniciar sua vida sexual em média quatro anos antes do que mulheres de classes sociais mais elevadas.

Por conta disso, elas entrariam em contato mais cedo com o vírus que leva ao desenvolvimento do câncer do colo do útero, dando ao vírus mais tempo para produzir a longa cadeia de eventos que, anos mais tarde, levaria ao câncer.

Acreditava-se anteriormente que a disparidade era resultado de baixos índices de controle preventivo em regiões mais pobres.

O estudo, feito pela International Agency for Research on Cancer, parte da Organização Mundial de Saúde (OMS), foi publicado na revista científica British Journal of Cancer.

Sem explicação

Embora a diferença na incidência do câncer do colo do útero entre ricos e pobres - verificada em todo o mundo - tenha sido constatada há muitos anos, os cientistas não sabiam explicá-la.

Especialmente porque os índices de infecção pelo vírus HPV (sigla inglesa para papiloma vírus humano) - uma infecção transmitida sexualmente que é responsável pela maioria dos casos de câncer do colo do útero - pareciam ser semelhantes em todos os grupos.

O estudo confirmou que os índices mais altos de câncer do colo do útero não estavam associados à maior incidência de infecção pelo HPV.

O que a pesquisa revelou foi que o risco, duas vezes mais alto, é explicado pelo fato de que mulheres mais pobres iniciam sua vida sexual mais cedo.

A idade em que uma mulher tem seu primeiro filho também pareceu ser um fator importante.

O estudo revelou que exames preventivos, como o Papa Nicolau, exercem um certo efeito sobre o nível de risco.

Mas o número de parceiros sexuais que uma mulher tem, e o hábito de fumar, não pareceram interferir nos resultados.

Tempo

A responsável pelo estudo, Silvia Franceschi, disse que os resultados não se aplicam apenas a jovens adolescentes. Por exemplo, o risco de desenvolver câncer do colo do útero também é maior em mulheres que tiveram sua primeira relação sexual aos 20 ao invés dos 25 anos.

"No nosso estudo, mulheres mais pobres se tornaram sexualmente ativas em média quatro anos antes".

"Então, elas também podem ter sido infectadas pelo HPV mais cedo, dando ao vírus mais tempo para realizar a longa sequência de eventos que são necessários para o desenvolvimento do câncer".

A representante da entidade britânica de pesquisas sobre o câncer Cancer Research UK, Lesley Walker, disse que o estudo levanta questões importantes.

"Embora mulheres possam ser infectadas pelo HPV a qualquer idade, a infecção em idade menor pode ser especialmente perigosa, já que (o vírus) tem mais tempo para causar os danos que levam ao câncer".

"Os resultados parecem reforçar a necessidade de vacinação contra o HPV em escolas, antes que (as meninas) comecem a ter relações sexuais, especialmente entre meninas de áreas mais pobres

Fonte BBC Brasil





 








.